terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Um amor para ocultar - A Love to hide - 2005



Por Jason


Apesar da pobreza da produção, a trama do filme é interessante, se passa durante a Segunda Guerra Mundial e o período da ascensão do nazismo na Europa e na França em 1942. Nesse contexto, o jovem Jean, namorado de Philipe, recebe a sua amiga judia Sarah que é apaixonado por ele, em sua casa, já que a família da menina foi exterminada pelos alemães. Sem ter para onde ir, Philipe concorda em abrigá-la e muda a identidade de Sarah para Yvone, com a finalidade de que ela consiga escapar da Gestapo.  Mais tarde, Jaques, o irmão de Jean, é libertado da cadeia, onde ficou acusado de contrabando ilegal e isso terá consequências desastrosas na vida de Jean. 

Os pais dos dois, donos de um pequeno negócio de lavanderia, veem Jean como o filho perfeito, o que desperta em Jaques muita inveja. Para completar, Jaques acaba se envolvendo em contrabando de nomes de judeus para entregar pessoas aos alemães. Acaba também se apaixonando por Yvone, que ainda mantém escondida uma paixão por Jean mesmo sabendo que ele está envolvido com Philipe. Ela rejeita Jaques, o que desperta a fúria do rapaz que não aceita o fato do irmão que ele tanto admirava ser homossexual e a mulher que ele tanto deseja ser apaixonada por um gay. Jaques entrega o irmão para a polícia, sob acusação de pederastia e crime contra a natureza humana. O fato de ele ter se encontrado com um militar nazista durante uma dança num estabelecimento gay espionado pela Gestapo só piora a situação.

Jean é humilhado, espancado e levado para o campo de concentração. Os nazistas capturam e matam Philipe diante de Yvone. Restam aos dois tentar tirar Jean do campo antes que ele acabe morto: ele por estar arrependido pelo que fez e ela por nutrir sua paixão. Há uma chance - ao invés de receber o triângulo rosa, característicos dos homossexuais levados para os campos de concentração que vão durar pouco, os franceses acabam recebendo os símbolos azuis, voltados para o trabalho escravo. Jean é deportado para o departamento de ciências nazistas, onde é lobotomizado e devolvido a família.

O filme é baseado na obra de Pierre Seel, "Eu Pierre Seel, Deportado Homossexual", que conta como foi sua experiência ao ser jogado em um campo de concentração. Os atores se esforçam e não comprometem o resultado final. A trama dá uma noção de como os homossexuais também sofreram com a perseguição dos nazistas, vivendo escondidos numa época que homossexualidade era tratada como caso de doença. O problema é que se trata de uma produção da TV, sem o porte de uma produção cinematográfica (tudo soa superficial, incluindo a cenografia), um tanto arrastado, de começo lento e final pessimista. Gente entra e sai da trama rapidamente (o prefeito, que tinha um caso com Philipe e que o alerta para a perseguição da Gestapo, o oficial alemão gay que se suicida para não ser levado aos campos, etc). Ele se sobressai pelo fato de que o tema da homossexualidade em período da II Guerra Mundial não é muito explorado no cinema, o que o faz merecer ser visto. 

Cotação: 2/5

O tema é melhor trabalhado no filme Bent (1997). 

Filme completo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não gostou? Sugestões? Críticas? Essa é a sua chance de dar a sua opinião porque ela é muito importante para nós! Seja educado e cortês, tenha respeito pelo próximo e por nós, e nada de ofensas, tá? Esse é um espaço democrático, mas comentários ofensivos serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...